ARQUIVO.

segunda-feira, 13 de março de 2017

Papa Francisco completa 4 anos de papado.

O bispo, argentino, Jorge Mario Bergoglio foi eleito papa no dia 13 de março de 2013.
Tornou-se o 266.º Papa da Igreja Católica e atual Chefe de Estado do Vaticano, sucedendo o Papa Bento XVI, que abdicou ao papado em 28 de fevereiro de 2013, 8 anos após a sua eleição.
A escolha de Francisco gerou alguns fatos curiosos.
A Igreja Católica passou a ter 2 papas, já que o anterior abdicou do cargo, geralmente os papas eleitos se mantém como líderes da igreja até a morte.
Esse é o primeiro papa nascido no Novo Mundo, o primeiro latino-americano, o primeiro pontífice do hemisfério sul, o primeiro papa a utilizar o nome de Francisco, o primeiro pontífice não europeu em mais de 1200 anos e também o primeiro papa jesuíta da história. 

A igreja católica se divide em estados, como os mapas geográficos do planeta. Comparando essa forma de divisão as paróquias são como cidades, pois abrangem um grande território que geralmente envolvem vários bairros da cidade em que se encontram, se não uma cidade inteira (algumas cidades abrigam mais de uma paróquia) e o padre é como o prefeito dessa cidade religiosa, a igreja matriz (paróquia) é como a prefeitura, a sede do governo. A união dessas paróquias formam a diocese, assim como a união das cidades formam um estado, o bispo, então, é como um governador e seu palácio é a catedral, o templo mor da igreja. Ou seja, para cada diocese existe apenas 1 catedral. Geralmente as dioceses englobam várias cidades cívicas.
Existem outros cargos, como o arcebispo que fica responsável pelos bispos de uma região, tal como um presidente (a arquidiocese é como um país religioso) e, assim, faz-se a conexão de todos os religiosos. Dentro do país existem várias arquidioceses.
O papa é um bispo que tem o cargo mais importante, unificar todos esses estados e todos esses governantes. O Vaticano, a sede do papa, é um estado independente, ou seja, um pequeno país onde o papa é o rei, imperador. Mas o seu trabalho vai além do quesito religioso e frequentemente ele se manifesta a favor ou contra atitudes políticas ou civis que são, ou não, favoráveis aos princípios religiosos.

Papa Francisco quebrou alguns protocolos com a intenção se se aproximar mais dos fiéis humildes. Ele abdicou dos tradicionais sapatos vermelhos para manter os seus mesmos, pretos. Pediu para forjar o anel papal em prata, julgando ser mais simples do que o de ouro. E trocou o trono papal ornamentado em ouro e pedras preciosas por uma cadeira simples. Ele, também, já abdicou várias vezes do plano de segurança e se expôs mais do que o seu cargo permite.
Tais gestos, apesar de significativos, são simbólicos, pois as bases da doutrina católica são as mesmas dos papas anteriores e contra isso pouco, ou nada, ele pode fazer, pois mudanças bruscas gerariam um grande rompimento na tradição da igreja que se estende por mais de 2.000 anos e as manifestações da igreja são gestos políticos, inclusive a eleição papal. Papa Francisco não foi eleito por acaso, ele cumpria os quesitos de um líder necessário para a igreja, sobretudo que fosse capaz de cativar mais fiéis para a igreja e manter os que já existentes.

Nenhum comentário: