ARQUIVO.

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Marilyn Monroe.

Marilyn Monroe nasceu em Los Angeles no dia 1 de junho de 1926Seu nome verdadeiro é Norma Jeane Mortensen.
É uma das mais famosas estrelas de cinema de todos os tempos, um símbolo de sensualidade e um ícone de popularidade do século XX.
Passou grande parte de sua infância em casas de parentes e orfanatos, não conheceu seu pai biológico e sua mãe, Gladys, que sofreu graves problemas psicológicos foi internada em um hospício.

Acreditam que Charles Stanley Gifford era o pai de Marilyn, um agente de vendas do estúdio RKO, onde Gladys Pearl Monroe trabalhava. Ela era editora de filmes.
Martin Edward Mortenson, marido de Gladys, registrou Marilyn, mas  disse que conheceu sua mãe já grávida.
Com 1,67 metro de altura, 94 centímetros de busto, 61 cm de cintura e 89 cm de quadril, foi descoberta pelo fotógrafo Davis Conover enquanto tirava fotos de mulheres que ajudavam no esforço de guerra, para a revista Yank.
Foi contratada oficialmente pela Twentieth Century Fox em 26 de agosto de 1946 com um salário de 125 dólares por semana. Pouco tempo depois, tingiu seu cabelo de loiro claríssimo e mudou seu nome artístico para Marilyn Monroe.
Monroe era o sobrenome da sua avó materna e Marilyn o nome mais chique da época.

Ao mesmo tempo que era uma menina frágil e inocente, era, também, uma mulher dominante e irresistivelmente sedutora, talvez por isso estivesse constantemente dopada pelos seus tutores. Para que pudessem dominá-la.
Marilyn casou-se várias vezes e começou a carreira em alguns pequenos filmes, mas a sua habilidade para a comédia e a sua sensualidade além de sua presença em eventos levaram-na a conquistar papéis em filmes de grande sucesso, tornando-a numa das mais populares estrelas de cinema da década de 1950.
Apesar de sua beleza deslumbrante, suas curvas e lábios carnudos, Marilyn era mais do que um símbolo sexual. Sua aparente vulnerabilidade e inocência, junto com sua inata sensualidade, a tornaram querida no mundo inteiro.

Foi roubada diversas vezes, inclusive pelos homens com quem foi casada.
Marilyn já era amante de Kennedy muito antes dele entrar na Casa Branca, ficou obcecado por ela durante sua recuperação de uma operação na coluna que o deixou imobilizado.
Apesar de suas ilusões, Marilyn sabia que Kennedy desejava apenas a estrela cintilante de cinema, não a mulher que era. Ele pretendia livrar-se dela com elegância, pois esse relacionamento lhe prejudicaria perante os poderosos da política.
Marilyn, então resolveu dar um grande presente a Kennedy, um último momento de glória. Em seu aniversário, Peter Lawford levou-o à sede do Partido Democrata onde ela, em um vestido deslumbrante costurado em seu corpo, cantou com voz lasciva "feliz aniversário, senhor presidente".
Na premiação do Globo de Ouro de 1962 Marilyn foi nomeada a personalidade feminina favorita de todo cinema mundial.
Na manhã de 5 de agosto de 1962, aos 36 anos, faleceu enquanto dormia em sua casa na Califórnia (Brentwood).

A notícia foi um choque propagada pela mídia, explorando sobretudo o caráter misterioso em que o fato se deu, prevalecendo a versão oficial de overdose pela ingestão de barbitúricos.
O brilho e a beleza de Marilyn faziam parecer impossível que ela tivesse deixado a todos.
Ninguém sabe de facto o que aconteceu naquela noite. Ouviu-se o barulho de um helicóptero. Uma ambulância foi vista esperando fora da casa antes que a empregada desse o alarme.
As gravações de seus telefonemas e outras evidências desapareceram. O relatório da autópsia foi perdido. Toda a documentação do FBI sobre sua morte foi suprimida e os amigos de Marilyn que tentaram investigar o que aconteceu receberam ameças de morte.
No dia 8 de agosto de 1962, o corpo de Marilyn foi velado no Corridor of Memories, nº 24, no Westwood Memoria Park em Los Angeles e nenhum artista, produtor ou pessoa que ocupasse algum cargo em Hollywood pode entrar em seu funeral.
A exigência foi do seu primeiro esposo que ficou revoltado por terem roubado e assassinado a estrela e, tendo ele bancado todo o funeral não quis que ninguém tirasse algum proveito de seu leito de morte.




Nenhum comentário: