ARQUIVO.

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Carla Perez.

Carla Aparecida Perez Soares da Silva nasceu em Salvador, no dia16 de novembro de 1977.

Aos quinze anos, Carla abdicou de seu baile de debutante para fazer um curso de manequim. Foi, porém, no ano de 1995, quando foi convidada para fazer parte do grupo musical Gera Samba, que mais tarde mudou o nome para É o Tchan, que ela começou a fazer sucesso. Carla foi importante para o sucesso do É o Tchan, pois nos 3 anos que esteve no grupo ela se tornou um grande fenômeno e protagonizou várias campanhas publicitárias, além de ter licenciado seu nome para muitos produtos, inclusive para uma boneca. A sua saída aconteceu devido a um desentendimento com o Compadre Washington, que segundo as notícias da época, tinha lhe agredido fisicamente durante um show. A situação foi bem explorada pela imprensa, Claudete Troiano, por exemplo, promoveu uma lavação de roupa suja ao vivo via telefone, e Gugu, a reconciliação.

Aproveitando o sucesso como dançarina, Carla colocou no seguro aquilo que mais contribuiu para a sua fama. O Bumbum. Ela botou a bunda no seguro por 2 milhões de Reais. E foi em setembro de 1998, que ela lançou o filme Cinderela Baiana, uma biografia com excesso de ficção e clichês, que se tornou um fracasso de bilheteria e de crítica, do qual ela chegou a dizer ter se arrependido e até impediu a circulação do longa. Esse foi o filme de estreia de Lázaro Ramos. Ele disse que foi graças a esse trabalho que conseguiu investir em sua carreira de ator.

Carla assinou contrato com o SBT e apresentou o programa semanal Fantasia que tinha sido um grande sucesso na primeira temporada quando era diário e apresentado por um grupo de apresentadoras, como Jackeline Petckovick, Débora Rodrigues, Adriana Colin e Tânia Mara. O formato do programa mudou e se tornou mais musical. A apresentadora recebia convidados e gravou duas canções, Fantasia e Rap da Crianças, que entraram para o álbum Lambaeróbica do Brasil. O dominical passava ao meio dia, mas naqueles loucos e sem noção anos 90, em uma ocasião ela folhou a revista Playboy das meninas do grupo Banana Splits e a G Magazine do cantor Marcio do grupo Desejo. Foi também nessa fase que ela soltou ao vivo o “i” de iscola e “e” de esqueiro, além de ter dado uma bronca no operador de som.

Em 1999, no lugar do fantasia ela estreou o programa Canta Dança Minha Gente, que mais tarde mudou para as tardes de sábado e ficou no ar até o final de 2001. Em 1999 também, ela fez uma participação no filme Requebra da Xuxa e gravou a música Canta Canta Minha Gente, que já tinha sido sucesso na voz de Martinho da Vila. A música foi lançada no cd Bahia 2000. Carla gravou ainda a música Também Te Desejo que entrou para o cd Bahia Hits 2001.  Essa música nasceu a partir de uma carta de Carla para Xandy. A letra foi adaptada para virar música. Nessa fase Carla passou por grandes transformações físicas, ela perdeu algumas medidas, mas ficou muito mais bonita. E no período que esteve no SBT, integrou o elenco do humorístico A Praça é Nossa.

Fora da tv, em 2002 ela lançou o cd Algodão Doce. Esse é o nome do trio elétrico de Carla, no carnaval da Bahia. Lançou ainda outros 3 cds, o Multiokê em 2003 – com a versão de vídeo estilo Só Para Baixinhos. Depois, Todos Iguais em 2005 e no mesmo ano participou da comemoração dos 10 anos do É o Tchan. Em 2007, lançou o cd Eletro-Kids.

Em 30 de julho de 2012 Carla estreou o programa infantil, Clube da Alegria, na tv Aratu, uma afiliada do SBT na Bahia. O programa chegou a bater o programa Encontro com Fátima Bernardes na audiência, mas em 2016 ela se mudou com a família para Orlando, nos Estados Unidos e a partir de maio do mesmo ano o programa passou a ser apresentado semanalmente. Segundo seu esposo, o cantor Xandy, a mudança é só por um tempo para que os filhos ampliem seus conhecimentos culturais e o inglês, no entanto, em maio de 2017 o programa saiu do ar.

Assista esse conteúdo no canal LOTV.

Nenhum comentário: