ARQUIVO.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Marcos Pasquim.

Marcos Fábio Prudente, conhecido como Marcos Pasquim, nasceu em São Paulo, no dia 14 de junho de 1969.
Começou no grupo Explosão, na década de 1980. O grupo se apresentou em vários programas de TV como Clube da Criança, Raul Gil, Bozo, entre outros, sendo anunciados como "Menudos do Brasil".
Depois migrou para o teatro atuando na segunda versão da peça Blue Jeans, em 1992. Dois anos mais tarde, voltou a participar da peça, porém com um personagem de maior importância. Sua boa atuação chamou atenção e, em 1995, foi convidado a fazer parte do elenco de Cara e Coroa, da Rede Globo, novela que marcou sua estreia na televisão.

Entre 1995 e 1997, estrelou duas peças: Uma Lição Longe Demais e Aluga-se Um Namorado, que foram apresentadas por todo o Brasil.
Na televisão, participou de Malhação na Rede Globo, de Mandacaru, telenovela da extinta Rede Manchete e também de Chiquititas Brasil, telenovela brasileira gravada na Argentina e exibida pelo SBT. Esses trabalhos o fizeram ganhar respeito diante da crítica e do público.

Em 2000, voltou à Globo, fazendo o papel de Casimiro na polêmica Uga-Uga, de Carlos Lombardi, iniciando aí uma longa e produtiva parceria com esse autor. Foram vários os seus trabalhos juntos, entre eles: a minissérie O Quinto dos Infernos, em que viveu o protagonista D. Pedro I; a novela Kubanacan, em que interpretou o protagonista, o misterioso Esteban; a novela Pé na Jaca, em que despontou como o protagonista Lance, tendo feito par romântico com a atriz e modelo Fernanda Lima, casal considerado, por muitos, como o de melhor química da década; e ainda o seriado Guerra e Paz, onde deu vida ao protagonista Detetive Guerra.
Em 2001, voltou ao teatro, na peça de Juca de Oliveira, Qualquer Gato Vira-Lata Tem uma Vida Sexual Mais Sadia que a Nossa e também fez parte da terceira versão da peça Blue Jeans. Enquanto isso, naquele ano, na televisão, limitou-se a apenas pequenas participações em especiais como Sai de Baixo, Brava Gente, Zorra Total e na novela Estrela Guia.
Em 2005, viveu o seu primeiro antagonista em novelas, o perigoso e traiçoeiro Tadeu de A Lua me Disse.

Fugindo ao estereótipo dos homens descamisados ao qual já estava habituado a fazer, co-protagonizou a novela Caras & Bocas em 2009, dando vida ao artista de pintura Dênis de Azevedo.
Voltou ao ar em 2011, na novela Morde & Assopra, interpretando o protagonista Abner, fazendo par com Adriana Esteves. Em 2012, entrou na trama de Cheias de Charme como Gilson, um aventureiro que é procurado pelo filho que ele nem sabia que existia, e ao longo do tempo, se envolvia com uma das protagonistas, Penha (Taís Araújo).
Em 2013, interpretou o empresário ambicioso Carlito Prata no remake de Saramandaia.
Em 2014, foi anunciado no elenco de Babilônia (2015), como o instrutor de saltos ornamentais, homossexual, Carlos Alberto. No decorrer da trama o perfil da personagem foi alterado e ele passou a ser heterossexual e não se envolver mais com o personagem de Marcello Melo Jr., como inicialmente se determinou na sinopse da novela.

No começo da carreira, no grupo Explosão.

Nenhum comentário: