ARQUIVO.

sábado, 6 de maio de 2017

Angélica.

Na década de 70 Chacrinha apresentou a criança mais bonita do Brasil, que virou apresentadora de tv, atriz, cantora e boneca.
Angélica celebra em 2017, 30 anos de televisão.

Angélica nasceu no dia 30 de novembro de 1973, em Santo André, São Paulo.
Iniciou sua carreira por volta dos 5 anos de idade praticamente por acaso.
Os primos da Angélica faziam comerciais de tv e sua tia convidou sua mãe para leva-la até o estúdio onde era gravado o programa do Chacrinha, a fim de conhecer as Chacretes que Angélica tanto gostava.
Chacretes eram as dançarinas do programa, a mais famosa foi Rita Cadilac.
Entraram pelos bastidores e coincidiu de uma menina que participaria de um concurso de a criança mais bonita do Brasil, representando o Pará, ter faltado. Angélica foi convidada para substituí-la e levou a melhor. Uma das juradas que a escolheu foi Elke Maravilha.
Depois disso ela foi convidada para atuar em campanhas publicitárias e seu pai disse que ela era bem requisitada e aparecia em uns quatro comerciais na tv, simultaneamente.

Ultraleve.
A agência de modelos, na qual estava vinculada, resolveu fazer testes para montar um grupo infantil. O grupo se chamou Ultraleve, e tinha como integrantes outras quatro crianças, Marcelo Totó, Marcio Tucunduva, Rodrigo Faro e Ticiane Pinheiro.

Rede Manchete.
Em 1987, quando o produtor do grupo Ultra Leve levou as crianças para a Rede Manchete, Mauricio Sherman disse que o grupo era bem ruizinho, mas gostou da Angélica e a convidou para integrar o programa Nave da Fantasia que era apresentado por Simony onde chegou a cantar a primeira versão da música “Eu digo sim”, com uma letra mais picante que não cativou o público. Com o término do programa, ele a colocou para apresentar o programa de vídeos clipes, Shock, nas tardes de sábado.

A CBS (atual Sony Music) se interessou em bancar o primeiro disco da Angélica, e o produtor cubano Oscar Gomez, responsável pelo sucesso do grupo Dominó e do Fábio Júnior foi escalado para montar o repertório do seu álbum, mas desistiu e solicitou o desligamento dela da gravadora. O produtor Marco Mazzola entendeu que só precisava encontrar a música certa e pediu para Aloysio Reis fazer uma versão da música Joe le taxi de Vanessa Paradis.
Aloysio Reis compôs a música junto com o seu irmão, o cantor, Biafra. E inicialmente os pais de Angélica não gostaram da música, pois ela não era infantil e fazia menção a masturbação, mas a canção pegou e virou o maior hit da apresentadora.

Em 1988, Adolpho pediu que Sherman encontrasse uma substituta de Xuxa para o Clube da Criança, foi então que ele conheceu Angélica, pois desde que tinha pedido a demissão do elenco de A Nave da Fantasia, o diretor a colocava em horários que o dono da emissora não assistia tv.
Adolpho gostou de Angélica e sugeriu que ela passasse a usar o nome artístico de Lolita.

Clube da Criança.
O Clube da Criança foi o programa mais bem-sucedido de Angélica e a melhor fase do programa, na Rede Manchete, de todos os tempos. Você pode assistir um vídeo sobre o Clube da Criança com todas as apresentadoras que assumiram o comando do infantil clicando aqui.
Assim como as músicas de Angélica, o Clube da Criança não era exatamente infantil, pois a programação era voltada mais para os adolescentes. Foi no Clube que a emissora apresentou as séries japonesas, como Jaspion, Changeman, Flashman, e Lionman entre outros.
Angélica tinha assistentes de palco, e o grupo das meninas ganhou nomes diferentes ao longo da carreira infanto/junvenil da apresentadora. Na primeira fase a trupe se chamava Clubetes, foi quando Camila Pitanga despontou para a fama. Depois, Angelicats, dando vez para Giovana Antonelli e mais tarde para Juliana Silveira e Geovanna Tominaga. Por Fim, Angel, quando já estava na Globo.
Os rapazes que foram assistentes de palco eram chamados de Angélicos, deles o que ganhou destaque depois de sair do grupo foi Mateus Rocha.

Angélica tem uma pinta de nascença, na perna esquerda e não gostava desse detalhe em seu corpo a ponto de escondê-la, mas a marca virou sua identidade. A apresentadora ganhou vários produtos licenciados, virou revistas em quadrinhos e boneca, e a pinta na perna estava em todas.
Ela apresentou simultaneamente ao Clube da Criança, o programa musical Milk Shake, onde interpretava um personagem diferente a cada sábado. Babi Xavier, aos 14 anos, era sua assistente de palco.

No período do Clube da Criança, Angélica lançou 5 discos. O primeiro saiu em 1988 com a música Vou de Taxi que teve o vídeo inspirado no filme A Lagoa Azul, e foi lançado no Fantástico, na Rede Globo.
Entrou para o álbum a nova versão de Eu Digo Sim. E como era moda gravar músicas para heróis de desenhos animados como fazia o Trem da Alegria e Xuxa, Angélica entrou na onda e gravou Super Cat (desenho que passava em seu programa).  Algumas músicas do disco foram regravações da época da Jovem Guarda. Teve também a canção Milk Shake, que foi tema do outro programa que ela apresentou e O Nosso Amor é Uma Festa, que entrou para a trilha sonora do filme dos Trapalhões, Os Trapalhões Na Terra Dos Monstros, em que ela atuou em 1989.
Esse foi o álbum mais bem-sucedido de toda a sua carreira.

Em 1989, foi lançado o segundo disco que teve como carro chefe uma regravação de Roberto Carlos, O Calhambeque, seguindo a receita do álbum anterior, pois, se antes Angélica andava de táxi, agora ela tinha comprado um cadilac.
Na minha humilde opinião, este álbum é até melhor do que anterior, pois praticamente todas as canções são hits. Tem Coração Encantado, Tic Tac, Toda Molhada De Chuva, Roda Roda Roda, Passageiro do Meu Amor, Help Natureza com a participação de Ney Matogrosso e Os Trapalhões, e a música Angelical Touch, que foi encomendada pelo Boticário, já que simultaneamente ao disco, estava sendo lançado uma linha de produtos da Angélica.

Em 1990, foi lançado o terceiro disco. A cantora Etna Brasyl do grupo Kaoma, muito famosa pela lambada que estava em alta no momento, participou da música Me Dá Um Beijinho. O disco ainda tem as canções, Ooh Lá Lá (Eu Vou Ganhar Você), Boa Tarde Meu Amor e Bye Que Bye Bye Bye, o jargão que ela usava.

Em 1991, foi lançado o quarto disco e a canção que fez mais sucesso foi a romântica Amor Amor.

Em 1992, foi lançado o quinto disco que teve mais músicas de sucesso que o anterior. A primeira canção tem participação do grupo Roupa Nova, Quis Fazer Você Feliz. Teve ainda, Além Das Núvens, Exército do Surf e Blue Jeans.
Ela ganhou nesse ano o Troféu Imprensa de Melhor Programa Infantil.

Angélica fez também algumas atuações no cinema e na tv. Participou dos filmes dos Trapalhões, em 1988 - Heróis Trapalhões, Uma Aventura na Selva. Em 1989 - Os Trapalhões na Terra dos Monstros. Em 1990 - Uma Escola Atrapalhada.
Em 1991, gravou a minissérie O Guarani, no papel de Ceci, fazendo par romântico com Leonardo Brício.
E em 1992 fez uma dublagem no desenho o Mágico de Oz.

Com o fim anunciado do Xou da Xuxa, na Globo, Angélica foi convidada para ocupar o horário, mas com a intenção de se livrar do estigma de continuadora de Xuxa, ela preferiu ir para o SBT.

SBT.
Em 1993, ela estreou o programa Casa da Angélica no período da tarde, onde interpretava alguns personagens, como Anjôlica (Jô Soares), Angélia (cozinha da Ofélia), Angelicastrid (Astrid Fontenele) e o Taxista Bernardão, que recebia diversas celebridades em seu táxi, entre outros personagens. Mostrava também matérias de interesse infantil, com o repórter Otaviano Costa. E em 1993, estreou como apresentadora do Passa ou Repassa, em 1994, do TV Animal.
A sequência de programas batia a Sessão da Tarde em audiência.

Nesse período que esteve no SBT ela lançou 3 discos.
Em 1993, Meu Jeito de Ser, foi o único álbum com nome. A canção mais forte foi Flecha de Amor e depois, Ponto Forte.

Em 1994, lançou o sétimo disco com algumas regravações bem conhecidas como, Beat Acelerado, Dona Felicidade e Lindo Balão Azul. Lindo Balão Azul e Com Você não entraram no vinil, eram faixas bônus do CD e do K7.

Em 1995, lançou o oitavo disco no estilo de sucesso da época, funk melody, com a participação de Latino na música Sonhos. A canção Bem Me Quer também entrou só no CD e k7 como faixa bônus.

Globo.
Em 1996 Angélica assinou com a Globo e estreou o Angel Mix, dividindo as manhãs com a TV Colosso. O programa tinha meia hora de duração e uma novelinha chamada Caça Talentos onde interpretava a Fada Bela, que contava com a participação de Ana Furtado, Claudia Rodrigues, Tony Tornado e Eri Johnson.

Em 1997 o programa ocupou toda a manhã e ela repetiu quadros do Clube da Criança, como a sereia Serena e Zé Polvolho.
Em 1998, com a própria produtora, Angélica produziu e protagonizou o filme Zoando na TV, com Márcio Garcia.
Em 1999, estreou Flora Encantada no lugar de Caça Talentos, onde Leonardo Miggiorin iniciou sua carreira na TV.
Em 2000 Angel Mix e Flora Encantada chegaram ao fim, dando lugar à Bambuluá, que ficou no ar até 21 de dezembro de 2001. A TV Globinho que já tinha sido um programa independente no passado, nessa atração virou um quadro do programa e depois foi transformado em programa infantil outra vez, ocupando toda a manhã.

Nesse período ela lançou 5 álbuns.
Em 1996, a Globo Columbia lançou uma coletânea dos 14 grandes sucessos da Angélica. No mesmo ano, foi lançado o seu 9º álbum de estúdio com participação de Netinho, Asa de Águia e Mauricio Matar. A música Festa da Patchanga entrou para a trilha sonora da novela Salsa e Merengue, mas a canção de maior sucesso foi Fada Bela.

Em 1997, o 10º álbum contou com a participação de Gilberto Gil e do porto riquenho Chayanne que estava em alta no Brasil. A canção mais famosa foi Ciúme. Angélica ainda estava em alta na Globo e ela cantou com Roberto Carlos no especial de fim de ano do cantor que a Globo apresenta sempre próximo do Natal.

Em 1998, o 11º álbum tem belas canções, é gostoso de ouvir, mas não teve grandes hits. Nesse ano ela gravou a música Terra do Nunca para a trilha sonora da novela Era Uma Vez. No mesmo ano atuou no filme Simão, o Fantasma Trapalhão e fez dublagem no desenho A Princesa Encantada 2: O Segredo do Castelo Odete.

Em 1999, foi lançado o Angel Hits & Amigos com um direcionamento para o público adulto. O álbum conta com muitas participações e uma releitura de Vou de Taxi com a participação de Claudinho & Buchecha.

Em 2001, o 13º álbum foi voltado aos adultos e deixou claro o redirecionamento de público logo na capa. A música Se a Gente se Entender ganhou um vídeo clipe bem sensual e foi o último disco da apresentadora.

Em 2001 Angélica abandonou as manhãs da Rede Globo e o público infantil, pois não queria mais apresentar programa para crianças. No mesmo ano ela interpretou a fada Melissa no filme Xuxa e os Duendes. Foi nesse ano também que estreou o quadro Vídeo Game, dentro do Vídeo show, onde ficou até 2011.

Em 2002 ela comandou o reality musical Fama, que revelou Marina Elali e Tiaguinho. Apresentou as quatro temporadas do programa, duas delas foi no canal pago Multi Show.
Em 2004 atuou no filme Um Show de Verão com Luciano Huck.
Em 2006 estreou o programa Estrelas, nas tardes de sábado.
Em 2009 interpretou a Rapunzel no filme O Mistério de Feiurinha, ao lado de Xuxa.

Curiosidades.
Sua mãe disse que na época, em um show feito em Manaus, Angélica conseguiu um público maior do que o grupo Menudo havia conseguido. Menudo foi o maior fenômeno da década de 80.

Namorados.
Aos 15 anos Angélica teve seu primeiro namorado, César Filho, 13 anos mais velho. Eles noivaram algum tempo depois, e ela ficou com ele até seus 22 anos.
Depois, teve um relacionamento com o ator Márcio Garcia que durou três meses.
De 1997 até 2001 namorou Maurício Mattar, num relacionamento conturbado, cheio de idas e vindas, e a família dela não queria o relacionamento por ele ter se envolvido com drogas.
Em 2002, Angélica começou a namorar o empresário Luís André Calainho. Com nove meses de namoro eles ficaram noivos, mas depois de alguns meses, se separaram e a apresentadora voltou a namorar o cantor/ator Mauricio Mattar, e chegaram a falar em casamento para 2004.
Em julho de 2003, Angélica começou um romance com o apresentador Luciano Huck nos bastidores do filme "Um Show de Verão" enquanto namorava Mauricio Mattar. 
Em 30 de outubro de 2004, casou-se com o apresentador Luciano.

Em Junho de 2004 anunciou no Fantástico sua primeira gravidez. O seu filho, Joaquim, nasceu em março de 2005. Em 3 de novembro de 2007 nasceu o segundo, Benício. E em setembro de 2012 nasceu a sua filha Eva.

Novelas.
Além da minissérie O Guarani, Angélica fez outras participações na tv.
Em 1982, aos 9 anos, participou da minissérie Avenida Paulista da Globo.
Em 2001 fez uma participação em Um Anjo Caiu do Céu na Rede Globo.
Em 2003 fez uma participação em Celebridade Na Rede Globo.
Em 2010 interpretou Maria Teresa na séria As Cariocas na Rede Globo.


Nenhum comentário: